Alerta à imprensa sobre casos de feminicídio


A imprensa tem papel fundamental na defesa da igualdade social e no combate às violências, e sua maior arma é o discurso. A máxima nazista de que, uma mentira dita mil vezes se torna uma verdade, é um fato para quem trabalha com as palavras. Por isso, há de se ter cautela para que ficções hegemônicas não mascarem mais a realidade dolorida. O cuidado e a preocupação devem sempre prevalecer com relação às vítimas e às minorias.
Continuar lendo

Roda de conversa mostra diversidade de violências sofridas por mulheres no mercado de trabalho

O assédio sexual a mulheres no ambiente de trabalho nem sempre é explícito. O assediador pode parecer apenas uma pessoa simpática, gentil e chegar a confundir a vítima. O importante é estar alerta: se incomoda, constrange, é insistente, utilizado como chantagem ou condição para promoção ou vantagem: não se engane, é assédio sim. O tema e suas consequências foram debatidos na noite dessa quinta-feira (28), na Roda de Conversa Por que Somos Assediadas – Entendendo a Violência de Gênero no Mundo do Trabalho, realizada pelo Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF. Continuar lendo

Reforma da Previdência machista terá grande impacto na vida das mulheres

Dia 22 de março é dia de luta contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro! Vamos às ruas em defesa dos nossos direitos e das nossas aposentadorias.


As mulheres serão as mais prejudicadas caso a reforma da Previdência, apresentada pelo governo federal, seja aprovada. A Proposta de Emenda à Constituição PEC 6/2019 foi encaminhada ao Congresso Nacional por Jair Bolsonaro em 20 de fevereiro. O texto propõe o desmonte da previdência social e o fim dos direitos de aposentadoria, com ataques ainda mais profundos às trabalhadoras. Continuar lendo

Pesquisa aponta que mais de 70% das jornalistas já sofreram assédio sexual durante o trabalho

Uma pesquisa desenvolvida pelo Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal sobre o assédio sexual sofrido por jornalistas no ambiente de trabalho já tem uma prévia dos resultados. De acordo com as mulheres que participaram do levantamento, 74,3% das profissionais já sofreram assédio sexual em algum momento da atividade profissional. Continuar lendo

Cortejo na Esplanada marca Dia Internacional de Luta das Mulheres no DF

Primeira grande mobilização após as eleições, o Dia Internacional de Luta das Mulheres do Distrito Federal e Entorno será marcado por um Cortejo de Carnaval. O evento, organizado por mulheres de movimentos sociais, entidades sindicais, coletivos, ONGs e militantes independentes será dividido em alas carnavalescas, com acompanhamento dos blocos de carnaval do DF protagonizados por mulheres. A atividade tem como mote “Pela vida de todas as mulheres, resistiremos!” e reforça o caráter político dos blocos carnavalescos, da música, do festejo e da cultura brasileira.
Continuar lendo

Pesquisa sobre assédio sexual no trabalho entra na reta final. Já respondeu?

A pesquisa desenvolvida pelo Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal para levantar dados sobre o assédio sexual sofrido por jornalistas no ambiente de trabalho está entrando na sua última semana. O questionário ficará disponível para resposta até dia 28 de fevereiro. Acesse aqui: https://goo.gl/forms/MYjJcNIX4IfOV0Vk2

Continuar lendo

Coletivo de Mulheres Jornalistas do DF lança cartilha com dicas para cobertura sobre pautas trans

Clique na imagem para acessar a cartilha!

Nesta terça-feira, 29 de janeiro – Dia Nacional da Visibilidade Trans – o Coletivo de Mulheres Jornalistas do Distrito Federal lança uma cartilha com dicas sobre como cobrir as pautas trans. O material foi desenvolvido com base em orientações passadas pela militante transfeminista, Lucci Laporta. Confira aqui o vídeo que Lucci gravou para o Coletivo. Continuar lendo

Mais de 20 mulheres foram vítimas de feminicídio no país na primeira semana de 2019

Vanilda Martins, Iolanda Crisóstomo da Conceição de Souza, Rejane de Oliveira Silva, Simone Oliveira de Assis, Marcelle Rodrigues da Silva, Tamires Blanco, Natasha Rodrigues, Queli Aparecida Simon, Elizangela Pereira de Almeida, Maria Dalvina Dantas, Maria Rosa dos Santos, Milena Optimara Soares Cardenas. Essas são algumas das mais de 20 mulheres assassinadas pelo machismo no Brasil, na primeira semana de 2019.

Milena é a mais jovem entre as vítimas de feminicídio nos primeiros dias de janeiro. A adolescente de 13 anos foi morta no dia 4, com um tiro na coxa, pelo namorado, de 17 anos, em Campinas (SP).

imagem: Brasil de Fato

Continuar lendo